correioalentejo.com
Francisco Rocha, atleta do Núcleo de Atletismo e Recreio de Messejana (NARM), conquistou o título nacional de pista nos 100, 200, 400 e 800 metros na categoria de Veteranos. 
Quatro títulos nacionais a que (ainda) juntou mais três recordes distritais nos 100, 200 e 400 metros.
“É de facto um póker inédito”, reconhece com orgulho o atleta de 52 anos. “Não estava à espera de todas estas vitórias. Mas à medida que as provas foram acontecendo sentia que tudo me estava a correr bem. E assim que ganhei a primeira prova – os 100 metros, o que não esperava – fiquei com uma força mental maior para chegar aos quatro títulos”, acrescenta ao “CA”.
Francisco Rocha ficou surpreso por arrebatar tantas medalhas de ouro (sobretudo nas provas de velocidade, já que a sua especialidade é o meio-fundo curto: 400 e 800 metros), mas nunca duvidou das suas possibilidades. E trabalhou como um verdadeiro profissional para chegar ao campeonato nacional na melhor forma possível.
“Foi com muito trabalho, muito esforço e muita dedicação. Porque não se chega aos campeonatos nem fazem marcas ou se ganha sem trabalho. Por isso treinava seis dias por semana, sendo que em dois dias fazia sessões bi-diárias, uma de manhã e outra à tarde”, revela.
Antigo praticante de ténis, Francisco Rocha só enveredou pelo atletismo há cerca de dois anos e meio. Tempo suficiente para já ter somado várias vitórias a nível distrital e agora quatro títulos nacionais. Isto sem esquecer a brilhante marca obtida em Março nos 800 metros, na sua estreia num Campeonato Nacional de Pista Coberta.
“Fiz 2m13s, que é a sétima melhor marca europeia”, sublinha o atleta com satisfação, sem esconder a próxima meta que pretende alcançar. “Gostaria muito de experimentar uns Europeus… Vamos ver qual é a possibilidade disso no próximo ano. Mas tenho tempos para isso nos 400 e 800 metros, em que dá para chegar às finais”, diz o atleta do NARM.